#Semcos
Somando Farmácia Básica, valor supera um milhão de reais

A secretaria municipal de Administração, através do departamento de Licitação, realizou neste mês mais um processo licitatório par a aquisição de remédios judiciais.

O valor de R$ 116.644,86 – do último dia 21/08 – se junta aos R$ 310.845,85 licitados em fevereiro, alcançando o montante de R$ 427.490,71 em 2019.

O valor corresponde apenas a demanda do processo judicial, já que para a Farmácia Básica foram licitados R$ 873.510,21. Somados os valores ultrapassam R$ 1,3 milhão.

A obrigatoriedade do município na Farmácia Básica é de apenas R$ 42.480,00, que se somaria ao mesmo valor do estado e ao dobro deste valor pela União, chegando ao montante de R$ 185.400,00 (se considerarmos uma população de 18 mil habitantes).

“80% das despesas judiciais estamos tendo que arcar sozinhos”, afirma coordenador da farmácia municipal

Thiago Prando, coordenador municipal da Assistência Farmacêutica indicou que “80% das despesas judiciais estamos tendo que arcar sozinhos. A lei determina 50% para o município e 50% para o estado, mas tem paciente que estamos atendendo a dois anos sozinhos”.

O coordenador também apontou que tem um único paciente, que se consumir o remédio o ano todo, chega a custar R$ 100 mil no ano para o município. Thiago explicou ainda que até o final do ano a despesa com os remédios judiciais deve ficar em torno de R$ 300 mil, já que nem todo o medicamento da licitação é adquirido (pacientes deixam de tomar o remédio, por vários motivos – troca de tratamento, falecimento, mudança de endereço…).

Na Farmácia Básica o consumo dos remédios licitados deve chegar a 90%. Ou seja, a população de Mundo Novo deve consumir – somente pela Farmácia Pública Municipal – cerca de um milhão de reais em medicamentos.

Texto: Jandaia Caetano
Fotos: Arquivo Semcos

#PraCegoVer – Imagens do estoque de remédios dentro do UBS Central com servidora atendendo, e parte de fora da farmácia básica com munícipe sendo atendida com criança do lado