foto: Arquivo Semcos

Vacinação contra a dengue está sendo aplicada em crianças de 10 a 14 anos, mas procura está baixa

Carina Yano/Semcos –

A Secretaria Municipal de Saúde, através do setor de Endemias, informou nesta semana que Mundo Novo apontou mais de 100 notificações de dengue nas últimas duas semanas, além de casos registrados em laboratório particular e que não chegado ao órgão.

Segundo a coordenadora de Epidemiologia, Daniela Laguna, desde o início do ano até o dia 16 de março, foram 311 notificações com 81 positivados para dengue, 20 descartados e 210 em investigação. A fonte oficial vem através do sistema Sinan, que são as notificações vindas das unidades de saúde e de hospitais.

Nos últimos 15 dias foram 77 notificações na semana retrasada e 27 na semana passada.

Na última segunda-feira (18), a equipe de Endemias espalhou o inseticida Cielo pelos bairros Universitário, Itaipu e São Jorge. Nesta terça, o serviço será feito nos bairros Berneck e Fleck. Todos esses bairros atendidos receberam notificações na semana anterior.

O setor está realizando a aplicação do ‘fumacê’ desde fevereiro – mês que deu início ao surto de dengue. O município realiza o pedido para aplicação de cada semana e o produto é fornecido pelo governo do estado.

“A aplicação do inseticida é para eliminar os mosquitos infectados que estão voando. Para combater o Aedes Aegypti é preciso a colaboração de cada morador para cuidar do seu quintal em relação a água parada nos seus imóveis e terrenos baldios – local que os mosquitos se proliferam. É importante lembrar que o ‘fumacê’ não elimina larvas e pulpas”, citou o supervisor de Endemias, Leandro ‘Borracha’.

É válido informar que a equipe faz o trabalho, geralmente, no final da tarde e de madrugada. Segundo eles, é o melhor período devido à pouca incidência de ventania.

“O vento as vezes acaba espalhando para outro local e não na residência do morador”, citou o coordenador de Endemias, Adair dos Santos.

Segundo uma matéria publicada na última segunda-feira (18), no G1, o Brasil passou de 1,8 milhão de casos (prováveis e confirmados) de dengue em 2024.

Este é o maior número desde o início da série histórica, em 2000. O recorde anterior de casos prováveis ocorreu em 2015, com 1.688.688. Já o terceiro ano com maior número foi 2023, com 1.658.816.

Sorotipos e vacinação

Em Mundo Novo, a vacinação contra a dengue está sendo aplicada em crianças de 10 a 14 anos e ocorre em duas doses, em um intervalo de 90 dias.

foto: Coordenação de Vacinação/MN

A imunização está sendo feita pelas crianças por serem grupos prioritários, ou seja, por ter um número maior de complicação da doença e de internações.

De acordo com a coordenadora de Vacinação, Katia Mendonça, ainda não há uma previsão de quando aumentará a faixa etária. Ela citou que a cobertura de vacinação ainda está baixa a nível estadual e nacional.

É importante ressaltar que caso a pessoa contraia o vírus da dengue, ela deve esperar seis meses para se vacinar contra a doença.

No município está prevalecendo a circulação do sorotipo 1 e 2 (tipos de vírus), com poucos casos de chikungunya, segundo o setor de Epidemiologia.

O Ministério da Saúde anunciou a estratégia de vacinação em janeiro deste ano, apontando 521 municípios contemplados inicialmente, de regiões endêmicas.

Educação e conscientização

Na manhã desta terça-feira (19), o setor de Endemias realizou um teatro de conscientização contra a dengue para as crianças do Centro de Educação Infantil Monteiro Lobato.

Ainda nesta semana, a apresentação será feita na creche Guaicuru.

“Através das crianças a gente consegue atingir os pais para cuidar do próprio quintal”, disse o supervisor de Endemias, Maicon Martins.